21/10/2015 - Portal G1 - Globo

Receita da indústria da construção somou R$ 337,6 bi em 2013, diz IBGE

Avanço foi 5,3% em relação a 2012; número de empresas cresceu 5,5%. Ano foi influenciado por oferta de crédito, programas do governo e Copa.

 

A receita operacional líquida da indústria da construção alcançou R$ 337,6 bilhões em 2013, o que corresponde a um crescimento em termos reais de 5,3% em relação a 2012, quando havia somado R$ 313,5 bilhões. Os dados são da Pesquisa Anual da Indústria da Construção de 2013, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (21).

Segundo o instituto, o ano de 2013 para o setor foi influenciado positivamente por uma maior oferta de crédito imobiliário, por programas de investimento, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e o Programa Minha Casa Minha Vida, e pelas obras para a Copa do Mundo em 2014.

“Em conjunto, esses fatores contribuíram para que fossem realizados investimentos em obras de infraestrutura e na construção de edificações residenciais, que têm prazos de longa maturação”, analisou o órgão.

3 milhões de pessoas ocupadas
A despesa total com pessoal ocupado respondeu por 33,9% do total dos custos das empresas de construção, ou R$ 102,3 bilhões. Desse total, R$ 67,4 bilhões foram gastos com salários, retiradas e outras remunerações. Segundo a pesquisa, esse resultado é superior ao analisado em 2012, quando esse custo havia sido de 32,6%.

Ainda segundo o levantamento do IBGE, o salário médio mensal avançou 0,6% em termos reais, mostrou a PAIC, passando de R$ 1.648,66 em 2012, para R$ 1.750,88 em 2013.

“Ao avaliar os resultados de 2013, deve-se considerar que a PAIC captou aumento de 5,5% no número de empresas ativas em relação a 2012, ao passar de 106,1 mil para 111,9 mil empresas”. Juntas, os empreendimentos ocuparam 3 milhões de pessoas, segundo o IBGE.

Obras, serviços e incorporações
Em 2013, as empresas do setor realizaram obras e/ou serviços e incorporações no valor de R$ 357,7 bilhões. Esse resultado é 3,7% maior do que o observado no ano anterior, de acordo com o levantamento. Dessa quantia, R$ 346,7 bilhões referem-se apenas ao valor das obras e ou serviços da construção, sem considerar as incorporações, afirmou o órgão.

Do total do montante, R$ 116,8 bilhões derivaram de obras contratadas por entidades públicas. Elas representaram 33,7% do total das construções, participação menor do que a verificada em 2012, 35%.

O valor das construções das obras de infraestrutura passou de R$ 121,9 bilhões (2012) para R$ 129,6 bilhões, em 2013, e o resultado aumentou a participação do segmento para 44,3%. No ano anterior, havia sido 43,4%.

“Os produtos que mais aumentaram no período considerado foram: quadras, piscinas, pistas de competição e outras instalações esportivas e recreativas semelhantes, que passaram de R$ 785,9 milhões para R$ 17,7 bilhões; e pistas de aeroportos, que passaram de R$ 114,0 milhões para R$ 726,5 milhões”.

Receita da indústria da construção avançou 5,3% em 2013, mostra IBGE (Foto: Reprodução / IBGE)Receita da indústria da construção avançou 5,3% em 2013, mostra IBGE (Foto: Reprodução / IBGE)

Despesa com materiais
O consumo de materiais de construção manteve 24,8% em 2013, resultado próximo ao obtida em 2012 (24,9%). Obras e/ou serviços contratados a terceiros também figuram entre os principais custos e despesas da atividade de construção, passando de 11,1%, em 2012, para 11,2% do total em 2013.

Investimentos
A PAIC mostrou ainda que os investimentos líquidos de ativos realizados por todas as empresas do setor da construção totalizaram R$ 9,7 bilhões em 2013. Destacou-se, segundo o instituto, o investimento em máquinas e equipamentos, que correspondeu a 44,9% do total. Terrenos e edificações foi o segundo destaque, com 28%, seguidos de transportes, 18,3%, e outras aquisições, como móveis e microcomputadores, 8,8%.

Número de empresas ativas na indústria da construção com uma ou mais pessoas ocupadas (Foto: Reprodução / IBGE)Número de empresas ativas na indústria da construção com uma ou mais pessoas ocupadas (Foto: Reprodução / IBGE)

Setores que mais contribuíram
Ainda segundo a pesquisa, a construção de edifícios se manteve como o setor que mais contribuiu para o crescimento do valor corrente dos empreendimentos da indústria de construção. Em 2013, foram R$ 153,2 bilhões das incorporações, obras e/ou serviços, e a participação sobre o total alcançou 42,8%, no ano.

O setor de obras de infraestrutura foi o segundo que mais contribuiu, com R$ 140,9 bilhões. Contudo, sua participação em 2013 foi menor do que a observada em 2012: 39,4% contra 40,5%.

Já os serviços especializados para construção mostraram crescimento na sua participação financeira, somando R$ 63,5 bilhões, e indo de 16,8%, em 2012, para 17,8%, em 2013.

Participação percentual do valor das incorporações, obras e serviços, segundo o setor de atividade (Foto: Reprodução / IBGE)(Foto: Reprodução / IBGE)

 

Cristiane Caoli do G1, no Rio

Belpasso

Av. Nossa Senhora de Lourdes, 63
Jardim das Américas
CEP 81530-280 . Curitiba-PR

Fone/Fax: +55 41 3366-7376
contato@belpasso.com.br
BELPASSO - Todos os direitos reservados